MPRJ determina instauração de inquérito policial sobre acidente aéreo em Paraty

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) determinou a instauração de inquérito policial para apurar as responsabilidades pelo acidente de avião nas proximidades do município de Paraty, no Estado do Rio de Janeiro, que vitimou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki e mais quatro pessoas na quinta-feira (19/01).

A Promotoria de Justiça de Paraty acompanhou,  desde a tarde de quinta-feira, as operações de resgate e identificação dos corpos, ao lado da Polícia Civil, da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica). 

O inquérito policial fluminense (nº 16700131.2017), que corre em paralelo ao da Polícia Federal, vai aguardar a conclusão da perícia por parte do Cenipa para avaliar os próximos passos da investigação. A Promotoria pretende ouvir testemunhas, como barqueiros que relataram ter visto o acidente.

“Se a perícia da Aeronáutica concluir que o acidente foi provocado por imperícia, o caso estará encerrado. Mas, se não for essa a conclusão, as investigações continuarão em busca das causas da queda”, disse o promotor de Justiça Vinicius Ribeiro, titular da Promotoria de Justiça de Paraty.

Por volta das 11h de sexta-feira (20/1), mergulhadores do Corpo de Bombeiros resgataram o último dos cinco corpos, o do piloto da aeronave. No início da tarde, prepararam uma nova operação, que ocorrerá ao longo do dia, para o içamento dos destroços do fundo do mar, com o uso de bombas de ar.

A Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do MPRJ também acompanhou as ações da Promotoria de Paraty, dando total suporte e apoio ao caso, principalmente para facilitar a remoção dos corpos e demais trâmites burocráticos necessários.







Barra de navegação rápida